Projeto realiza atividade sobre a história da Estrada de Ferro Santa Catarina no bairro Taboão

Encontro com a comunidade será na segunda-feira, 9 de agosto




A equipe do Projeto “Estrada de Ferro Santa Catarina: uma história que precisa ser refletida, ao invés de esquecida” participará de um encontro com a comunidade na próxima segunda-feira, dia 09 de agosto, a partir das 19h, no Salão da Capela Santo Antônio, situada ao lado da E.E.F. Luis Ledra. A atividade está sendo organizada em parceria com as associações de moradores dos bairros Taboão, Barra do Taboão, Bremer e Bela Aliança e movimento Mobilização pela Estrada Blumenau.


O encontro tem o intuito de refletir sobre os 50 anos de desativação da Estrada de Ferro, considerando-se que a ferrovia teve suas atividades encerradas em março de 1971. Após a conversa com os historiadores, será realizada uma reunião sobre o projeto do trem na Estrada Blumenau.


Compartilhando aspectos históricos com os estudantes


Considerável parcela do desenvolvimento econômico e progresso vivenciado por Rio do Sul somente foi possível através dos caminhos de ferro que serviram o município durante quase quatro décadas. Por este motivo, foi elaborado o Projeto “Estrada de Ferro Santa Catarina: uma história que precisa ser refletida, ao invés de esquecida”, que foi contemplado na edição 2020 do Prêmio Nodgi Pellizzetti de Incentivo a Cultura de Rio do Sul e tem como proponente a professora e historiadora, Jucelia Denise Hardt.


As atividades estavam previstas para acontecer em março de 2021, considerando-se o marco de 50 anos da desativação da EFSC, pois a última viagem ocorreu no dia 12 de maço de 1971. No entanto, somente agora estão sendo realizadas as ações educativas, em decorrência do cenário da pandemia. As palestras estão sendo realizadas na E.E.F. Professor Frederico Navarro Lins, E.E.F. Luís Ledra e E.E.B. Willy Hering, contemplando os bairros Barra do Trombudo, Taboão e Bela Aliança, por onde passava o trem na época de seu pleno funcionamento.


Vale destacar que a ferrovia serviu o Vale do Itajaí de 1909 até 1971, contribuindo efetivamente para o desenvolvimento cultural, social e econômico desta região catarinense. A EFSC viabilizou a ligação da Sede da Colônia em Blumenau, com as localidades interioranas, oportunizando o escoamento da produção agrícola e industrial até o Porto de Itajaí.


Resgate histórico da EFSC


Além da atividade realizada com os estudantes dessas três unidades educacionais, o projeto tem o intuito de interagir com a comunidade, diante da perspectiva de valorizar a história da EFSC em Rio do Sul. Uma das principais ações será a organização de uma fanpage na rede social, onde serão inseridas as fotos obtidas junto à comunidade.


Vale explicar que existem muitas fotos que demonstram o trem em funcionamento, na área central de Rio do Sul, porém, existem poucas imagens da “Maria Fumaça” nos bairros de Rio do Sul, por onde passava a ferrovia. Reunir essas fotografias e compartilhar com a comunidade, com certeza será uma forma de valorizar nossa história e memória, refletindo sobre como seria Rio do Sul caso a ferrovia ainda estivesse servindo a região.


Texto e informações: equipe de produção do projeto


Tiago Amado

Equipe de Comunicação

Fundação Cultural de Rio do Sul

(47) 3521 7702 / 98806 6114